Buscar solução técnica e ambientalmente viável para a dragagem do Rio Gravataí. Este foi objetivo da reunião realizada na manhã desta quarta-feira (6), na Secr "> Buscar solução técnica e ambientalmente viável para a dragagem do Rio Gravataí. Este foi objetivo da reunião realizada na manhã desta quarta-feira (6), na Secr" /> Governo define estratégia para dragagem do Rio Gravataí - Secretaria de Logística e Transportes
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Governo define estratégia para dragagem do Rio Gravataí

Publicação:

201302061725133-img-0901.jpg
setup-carga-201302061725133-img-0901-jpg

 

 

Buscar solução técnica e ambientalmente viável para a dragagem do Rio Gravataí. Este foi objetivo da reunião realizada na manhã desta quarta-feira (6), na Secretaria de Infraestrutura e Logística(Seinfra). Com a participação de representantes da Superintendência de Portos e Hidrovias (SPH), Fepam e Petrobras o encontro definiu o grupo de trabalho que irá estabelecer a melhor alternativa para a recuperação da hidrovia.

 

O secretário de Infraestrutura e Logística do RS, Caleb Oliveira, disse que irá acompanhar o processo para que a dragagem aconteça sem provocar prejuízos para o Estado, sejam eles na ordem econômica ou ambiental. "Temos total interesse na recuperação desta hidrovia no menor tempo possível. Tanto Fepam como SPH farão o possível para agilizar o processo para executar a dragagem", afirmou.

 

Segundo o superintendente de Portos e Hidrovias, Pedro Obelar, trata-se de uma operação bastante complexa em razão das atuais condições de poluição em que se encontra o Rio Gravataí. "Para que a dragagem possa ser feita, algumas precauções devem ser tomadas a fim de evitar maiores danos ao meio ambiente. No entanto, as restrições não podem inviabilizar a operação", explicou o superintendente.

 

No encontro ficou definido que técnicos da SPH e Fepam buscarão, em conjunto, uma solução viável para a realização da dragagem de recuperação da hidrovia do Gravataí. Segundo o gerente geral da Refap, João Oderich, esta é uma demanda antiga dos usuários dos terminais do Gravataí, em especial da Refap. “É um problema sério e que precisa ser solucionado em razão da importância econômica que esta hidrovia representa para o Estado”, avaliou.

 

Também participaram da reunião representantes da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI).

 

Secretaria de Logística e Transportes